Este texto sobre mentiras já começa com a verdade: quanto mais as mulheres se sentem mal com seu próprio corpo, mais a indústria de dietas lucra. Na mesma proporção. Mais ódio, autorrejeição e mal estar, mais dinheiro.

O peso do corpo é pequeno perto do peso da vergonha, da culpa e do medo que gira em torno da relação que muitas mulheres tem com a comida e com o peso.

A manipulação da indústria de dietas é genial! Sério, os caras são bons! Eles conseguiram criar toda uma realidade paralela – e infelizmente a maioria das pessoas vive lá – e nos fazem acreditar que não somos boas, inteligentes, bonitas, simpáticas, competentes o suficiente e que a solução pra isso é mudar a aparência e buscar um tal padrão que é irreal e inatingível.

Pra chegar lá vale tudo, sem considerar preferências, ambiente, estilo de vida, histórico, individualidade… que nada, vamos encaixar todo mundo nessa caixinha aqui. E é muito conveniente pra indústria de dietas ter milhares de pessoas vivendo na realidade paralela da mentalidade de dietas. Assim eles ganham um cliente vitalício, olha que legal! Quando você acredita na ideia de voltar para a dieta para ser saudável, você vai continuar consumindo mais. Se a verdade prevalecesse, a gente ia parar de comprar coisas – produtos, remédios, tratamentos, cirurgias e procedimentos de todo tipo – e isso é o que esta indústria bilionária não pode deixar acontecer.

Quanto mais nos tornamos dependentes das soluções milagrosas para o emagrecimento, mais nos distanciamos de nós mesmas, dos nossos sonhos e propósito de vida, mais ansiosas e infelizes nos tornamos (e ainda acreditando que o fracasso é nosso!).

Vamos agora conversar sobre as maiores mentiras da mentalidade de dietas e porque elas estão tão bem camufladas:

 

Mentira n°1: “Fazer dieta emagrece”

Tá, vou começar de leve: fazer dieta até emagrece… massss recuperamos todo peso perdido logo depois. E um pouco mais.

Se um fumante para de fumar por 15 dias, ele deixa de ser um fumante? NÃO.

Se uma pessoa perde peso e fica duas semanas magra, isso conta como emagrecer? Pra mim, não. Emagrecimento de 2 semanas não é emagrecimento definitivo. 95% das pessoas não tem resultados com dieta. Os 5% que te recuperam o peso perdido em até 4 anos. Dietas não funcionam e ainda promovem a ideia ERRADA de que quem não consegue é fracassada. Isso aumenta a insegurança, a desconexão e a dependência de métodos não naturais e agressivos ao corpo, promovendo total desconexão com o corpo gerando ansiedade, stress, algumas vezes depressão e o que fazemos quando isso acontece? Pois é, a vontade de comer chocolate aumenta.

 

 

Mentira n°2: “Dieta é cuidar da saúde”

É um grande desafio no meu dia a dia de trabalho mostrar pras pessoas que dieta e saúde são coisas muito diferentes. Dieta não é sinônimo de saúde, nem de bem estar. Pelo contrário. O tamanho, peso ou aparência de uma pessoa não mostra nada sobre o quanto ela é saudável ou não. Existem magros saudáveis e não saudáveis. Existem gordos saudáveis e não saudáveis. E não dá pra saber disso só olhando pra pessoa, mas com exames, testes e diagnósticos feitos por pessoas competentes. Não com os olhos.

Fazer dieta pode ser uma das piores coisas que você pode fazer pela sua saúde tanto física (pode diminuir o metabolismo, te deixar mais cansada, aumentar a pressão, pode causar depressão ou um transtorno alimentar e muito mais) e principalmente pela sua saúde mental e emocional, cujos prejuízos são difíceis de identificar.

Eu sou uma sobrevivente, sei bem disso. E mesmo anos depois de despertar, ainda vejo vestígios dos anos de autorrejeição.

 

 

 

Mentira n°3: “Fazer dieta é fácil, todo mundo consegue”

Tomar remédio, laxante, passar fome, sentir medo de comida, fazer atividade física por obrigação ou pra se punir por ter comida não é fácil, muito menos saudável.

Não é impossível e qualquer pessoa é sim fisicamente capaz de fazer tudo isso, mas com essas práticas o corpo se torna resistente a perda de peso, além de sofrer muito com as consequências mentais e emocionais e com os prejuízos físicos ao metabolismo.

Não, não é fácil e não vale a pena. O custo é muito alto.

Quanto mais acreditamos em tudo isso, mais buscamos dietas, mais dinheiro, tempo, energia e sanidade nós dedicamos a uma causa destinada a falhar. Sempre.

 

 

Mentira n°4: “Dieta e cuidar da alimentação é necessário”

Toda santa dieta nos diz nas entrelinhas que não somos confiáveis, que nosso corpo não é confiável. Precisamos olhar pra fora, buscar resposta nos “alimentos certos” (e não na sabedoria da nossa biologia) pra ter uma boa alimentação. E eu não estou falando que devemos descuidar ou comer de qualquer jeito (claro!), mas não precisamos colocar 80% da atenção do nosso dia pra termos uma boa alimentação. Assim como você não precisa pensar no seu filho 100% do seu tempo pra ser uma boa mãe ou trabalhar 18 horas pra ser uma boa profissional.

A mídia incentiva tanto o medo, a preocupação constante que parece que a qualquer descuido “tudo está perdido”. Isso não funciona a longo prazo e também não traz emagrecimento definitivo. Dieta não ensina ninguém a se relacionar com a comida de forma saudável, prazerosa, tranquila, definitiva. Pelo contrário. A mentalidade restritiva nos faz perder peso, mas ganhar tudo de novo (às vezes mais!).

 

 

 

Mentira n°5: “Dietas são sustentáveis e fazem bem para o corpo”

Não adianta conseguir fazer dieta por alguns dias e de repente se pegar comendo enlouquecidamente uma grande quantidade de comida sem nem sentir o gosto – sabe aquela coisa de ‘quando eu vi já tinha comido’?. Viver esses altos e baixos é desesperador – e, de novo, a gente acha que a culpa pelo descontrole é nossa.

Não é porque a blogueira do Instagram come 1200 calorias por dia ou não come carboidrato que você precisa fazer assim também. Somos 7 bilhões de pessoas no mundo e cada uma tem características próprias.

O que você come varia dependendo do quanto você se exercita em um dia, sua atividade hormonal, estabilidade emocional,  a qualidade do seu sono e muitas outras coisas. E isso ninguém vai te ensinar, só você pode aprender. Só eu sou expert em Lígia Fabreti e só você é expert em você. Olha que lindo isso!

Mas nós temos que parar de buscar respostas fora de nós, em cardápios, fórmulas e receitas prontas e começar a procurar onde as respostas realmente estão: em nós mesmas.

 

 

Mentira n°6: “Dietas te ajudam a controlar sua fome”

Você não precisa controlar sua fome, você só precisa respeitá-la.

Claro que você vai emagrecer se só tomar água com limão… mas e quando seu corpo precisar de energia e nutrição?

Pera, que eu vou te contar o que acontece: você vai estar tão faminta por causa da restrição e vai estar com vontade de comer absolutamente tudo (e meio que ao mesmo tempo) e vai comer muito rápido, bem mais do que seu corpo gosta e precisa, e vai comer desse jeito enquanto promete pra si mesma que é a última vez. Vai fechar os olhos e prometer que depois dessa “última refeição”, vai “comer certinho”. O pior é que a gente realmente acredita nessa promessa fantasiosa.

E quantas “últimas refeições”, você já teve?

Quantas vezes, cheia de culpa, com medo de engordar, se sentindo péssima, você voltou pra dieta? E é assim que o Ciclo de Dietas recomeça e se perpetua…

 

Mentira n°7: “Um corpo magro vai fazer você se feliz”

Ahhhhh (suspiros), se a felicidade tivesse UMA fórmula… imagina!

Eu não questiono que muitas pessoas se sentem mais leves, satisfeitas e autoconfiantes quando emagrecem. Mas não porque ser magra traga tudo isso – se fosse assim, todas as pessoas magras do mundo seriam necessariamente felizes – mas porque atingir o objetivo culturalmente estabelecido traz felicidade temporária.

Não é o emagrecimento que traz esta felicidade momentânea, mas a satisfação de atingir uma meta socialmente estabelecida como necessária.

E mais uma vez a indústria de dietas é muito inteligente e sagaz quando vende a ideia de que você finalmente vai poder começar a viver e ser saudável quando você perder peso. Não é um ótimo motivo pra seguir quantas dietas forem necessárias? Estou falando que esse povo manda bem na construção dessa ilusão: emagreça e retire aqui sua permissão para ser eternamente feliz e saudável (sim, apenas por “ser magra”, você ganha o bônus vida feliz).

Acontece que a vida acontece agora. Estava acontecendo antes e está acontecendo enquanto você lê esse texto. E vai continuar acontecendo. Independente do seu peso.

E a vida não está preocupada com sua massa corporal e nem se você está confundindo seu valor como ser humano com a quantidade de comida que você ingere.

A vida está te esperando.

 

Mentira n°8: “Dietas fazem bem para o corpo e o ajudam a funcionar melhor”

Muita gente “reclama” do metabolismo. E eu até entendo, na real a gente fica querendo encontrar uma justificativa para os “fracassos” sucessivos e tá tudo bem.

Mais aqui vai uma micro aula básica sobre metabolismo: esse é o sistema do seu corpo pra regular a energia que ele usa e se manter equilibrado. E, olha, nosso corpo manda muito bem nisso, viu. Mas daí… a mentalidade de dietas entra em ação e a gente achar que tem que controlar (obsessivamente!) o que come e isso necessariamente gera compulsão alimentar.

Quando essa gangorra de restrição e compulsão começa a acontecer, pronto, o coitado do metabolismo fica doidinho. Ele não sabe mais quando e quanto de comida vai receber e muito menos como equilibrar tudo isso.

Seu metabolismo desacelera pra poder preservar energia, já que você está literalmente o atacando e ele está tentando se defender deste ataque.

As dietas impactam o metabolismo de uma forma muito, muito, muito negativa. E aí você fica achando que o problema é seu metabolismo quando na verdade, foi justamente o fato de ignorar seu corpo traz muitos prejuízos.

O efeito sanfona sobrecarrega sua saúde física, mental e emocional (me pergunta como eu sei disso…). E essa parte que eu vou te contar agora, é mais uma que ninguém conta: a longo prazo, o resultado certo de fazer dieta restritiva é engordar.

 

 

 

Mentira n°9: “Dietas fazem você ser sua melhor versão”

Sua melhor versão é a SUA melhor versão. Me diz aí, qual é ela? Você sabe?! Como e onde você gostaria de estar? Mesmo que você não esteja lá ainda, você sabe pra onde está indo? Sua melhor versão é se comparar com você mesma há 6 meses, um, dois anos atrás. Eu me via anos após ano correndo atrás do mesmo objetivo e não estava sendo minha melhor versão nunca.

As dietas confundem nossa relação com a realidade. Se a gente continua acreditando na ideia de que precisa emagrecer pra ter permissão de ser feliz, você não vive a vida que tem, nem sonha com a que deseja.

E como viver no presente e construir uma vida feliz quando nossa atenção e energia estão sempre voltadas ao corpo e alimentação, como se só isso importasse?

Alimentação e saúde são importantíssimos, mas devem ocupar apenas uma porcentagem da nossa preocupação diária. O resto do nosso foco, deve ir pro nosso autocuidado, sucesso profissional, espiritualidade, família, relacionamentos amorosos e interpessoais, viagens, metas, bem-estar, diversão, conhecimento, conexão corpo-mente-espírito e muito mais. Existe muito mais na vida do que só alimentação.

 

Mentira n°10: “Se você não estiver o tempo todo preocupada com comida, vai engordar”.

Juro pra você que tem gente que nem imagina que é possível viver sem dietas.

Essa ideia maluca de controlar a alimentação o tempo todo está tão interiorizada na nossa cultura que virou sinônimo de “saúde e bem estar”. E como você já deve ter percebido, dieta é sinônimo de manipulação, medo, vergonha, culpa, submissão, sensação de fracasso e, claro, nada disso chega perto de bem estar e saúde. Fazer dieta nos machuca individual e culturalmente.

 

Eu não sei como você está se sentindo ao ler esse texto. Eu estou sentindo muitas coisas.

Como uma sobrevivente desse mundo, eu sinto um misto de revolta por ter sido enganada por tanto tempo e gratidão por finalmente ter me libertado disso tudo.

Quem ainda vive na mentalidade de dietas, não vê muita coisa fora números – de manequim, da balança, calorias e gramas de gordura ou carboidrato. Vivem num mundo de julgamentos “é demais, não é o suficiente, exagerou, podia ser melhor, tem que ter mais força de vontade, tem que se sentir um lixo por muito tempo, se privar e se odiar pra, quem sabe, “merecer” ser magra. Tem que sofrer bastante pra ter sucesso, dizem.

Mas não importa o que se faça, nunca é suficiente, a gente tá sempre insatisfeita e esperando. Esperando o dia em que o corpo vai estar perfeito, a alimentação 100% equilibrada, autoestima inabalável, coelhinho da Páscoa e Papai Noel….

Viver de dieta é viver constantemente se sentindo presa, encurralada. É uma obsessão. Fixação. Ser enterrada viva. Cada minuto do nosso dia pensando em peso e comida. Viver com o peso que a gente acha que tem no corpo e o peso das emoções que as dietas trazem. Antes do Não é dieta, é VIDA, eu não tinha consciência de que vivia assim, não sabia que dava pra ser diferente e não tinha ideia do que fazer pra mudar além de “emagrecer e ser feliz pra sempre”.

Mas depois de ler esse texto, você sabe que não está sozinha, que “o problema” não é – e nunca foi – você e que não dá mais pra continuar se criticando e forçando a barra pra mudar. Como pode alguém se machucar e se odiar durante uma jornada pra no final aprender a se amar e se aceitar? Não é mudando que você passa a se amar e se aceitar. É se aceitando e aprendendo a se amar que a gente muda.

Agora você sabe e é muito importante decidir o que você vai fazer com todas essas informações. Com certeza, não deve ser ir para o lado oposto da restrição, liberar geral e comer tudo que vê pela frente de qualquer jeito. Claro que não. Existem alternativas, existe o caminho do meio. E é isso que eu faço todos os dias, eu ajudo mulheres a se libertar da mentalidade de dietas e encontrar uma forma natural, consciente e intuitiva de se alimentar e de viver. Não é mágica, não tem milagre, não é um botão liga/desliga mas é a melhor coisa que você pode fazer por você nessa vida.

E você sabe que não dá mais pra viver assim, que você não está dando seu melhor e vivendo todo seu potencial. Você sabe. E tá tudo bem se você não sabe como fazer diferente e nem por onde começar. Mas como dizem por aí, insistir na mesma coisa esperando um resultado diferente é loucura. E seu valor é muito maior do que qualquer um dos números que nos impõem. Invista em você, não na indústria de US$64 bilhões. Coloque você (e não a comida) no centro da sua vida. Você merece.

Há 8 anos, eu sou uma estudiosa de alimentação consciente e uma pesquisadora viciada, porém, eu aprendi a ser seletiva naquilo que eu estou estudando. Eu acredito que não precisamos mais de informações nutricionais ou dos impactos de determinado alimento no nosso organismo, mas sim entender porque comemos o que não deveríamos.

Não precisamos mais saber o que comer, mas por que comemos quando não temos fome. E esse é um processo de experimentação, validação e autoconhecimento.  

Pelo seu bem estar e pela sua saúde, pare agora mesmo de fazer dietas restritivas ou dietas da moda.

Aprenda a reconhecer os sinais do seu corpo e veja o resultado. Parece um bom plano pra você?

Agora quero te fazer um convite. Se você está comprometida em parar de ser enganada pela Indústria de Dietas e quer saber o que fazer pra sair desse ciclo, você precisa fazer do jeito certo.

É exatamente isso que eu ensino no Programa Detox de Dietas. Um programa que vai colocar você (e não a comida) no centro da sua vida, recuperar sua autoconfiança e virar esse jogo.

Essa é a GRANDE oportunidade pra quem está pronta para sair do ciclo de dietas e conhecer um passo a passo estruturado pra te ajudar a parar de emagrecer e engordar sucessivamente. Clique Aqui para aproveitar o desconto de lançamento do Programa Detox de Dietas com uma oferta limitada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *