Controle, Descontrole e o Mito da Força de Vontade

Toda vez que tentamos controlar nossa alimentação com o propósito de emagrecimento, eventualmente acabamos tendo uma compulsão alimentarO mantra das pessoas que já entenderam que dietas não funcionam é: restrição causa compulsão.

 

Lembro claramente que quando eu era mais nova, conseguia seguir dietas direitinho por muitos meses, até anos.

Mais tarde, só por alguns meses…

Depois 3 semanas…

Depois 6 dias…

Chegou uma fase que eu começava na segunda e na terça à noite (quarta no máximo!) já me descontrolava com alguma coisa…

 

Cheguei num ponto que não conseguia mais sequer pensar em proibir algum alimento sem imediatamente começar a desejar justamente o que “não podia”. Nem era porque eu de fato queria comer, mas porque nós seres humanos nem sempre lidamos muito bem com as coisas que estão fora dos limites.

 

Com meu trabalho, aprendi que esse padrão de ter cada vez menos controle é o normal para a maioria das pessoas.

De acordo com o Institute for the Psychology of Eating (IPE), 95% das pessoas vai se rebelar contra qualquer tipo de controle de peso em até 5 anos e frequentemente essas pessoas recuperam todo o peso que perderam e até um pouco mais (isso que eu quero dizer quando eu insisto que dietas não funcionam).

 

E por que isso acontece?

A explicação está na nossa biologia.

 

A compulsão alimentar é uma resposta biológica natural à restrição alimentar.

 

Nosso corpo não sabe que a restrição é proposital e entende que está sendo ameaçado de fome – e que pode morrer por isso!

 

Raramente essa resposta biológica natural pode ser superada com “força de vontade”.

 

Nossa capacidade de controlar nossa alimentação é equivalente à capacidade de controlar nossa respiração: você pode até conseguir por um curto período de tempo, mas eventualmente, vai implorar por ar (ou comida, no caso).

 

 

Não existe força de vontade que vença nosso instinto diante da ameaça inconsciente de morte – asfixia ou fome, por exemplo.

A possibilidade de escassez de comida é interpretada pelo nosso corpo como uma ameaça e a reação dele pode ser resumida em uma única palavra: acúmulo. Com ou sem sua permissão consciente e apesar de todos os seus esforços para se controlar, seu corpo vai se proteger. Isso quer dizer: armazenar gordura no seu corpo e começar a desejar alimentos que forneçam energia rápida – por isso você nunca tem compulsão com alface, por exemplo.

Mas calma, respira.

Eu não estou dizendo que você não tem controle nenhum sobre sua alimentação ou que diante dessas informações “não adianta nada mesmo” e é melhor você se conformar. Também não estou dizendo que então você tem que satisfazer imediatamente todos os seus desejos. Nada disso.

 

Eu estou te explicando porque você se sente “descontrolada com comida”: é só sua biologia funcionando direitinho! <3

 

Você está percebendo que você tentando controlar o incontrolável nunca vai funcionar mesmo.

Controlar o incontrolável é uma das raízes do problema que atinge todas as pessoas que fazem dieta: “O que tem de errado comigo? Por que eu não me controlo?”

 

Esse “descontrole” foi aprendido ao longo de anos de restrição, mas te garanto que é totalmente possível viver sem pensar o tempo todo em comida, sem morrer de medo de engordar, sem sentir culpa por comer, respeitando o corpo e em paz com a balança. O tempo que vai levar pra você retomar a capacidade de se controlar vai depender da sua dedicação, do método certo e do tempo que você fez dieta.

 

O que não pode acontecer é que mesmo sabendo de tudo isso, você continue brigando com sua natureza. É tentador pensar “vou emagrecer com uma dieta restritiva depois eu ‘aprendo a comer’”, muitas pessoas pensam assim e inevitavelmente perdem alguns meses de vida feliz e recuperam o peso.

Tempo, vida, energia, dinheiro, felicidade, sanidade, autoestima, tudo perdido.

E você sabe muito bem que é impossível progredir se você continuar fazendo as mesmas coisas que sempre fez. Pra mudar, bem, a gente tem que mudar, né. Não só querer mudar, mas de fato saber o que tem que ser feito e ter atitudes diferentes, condizentes com o que desejamos.

E claro que não estou falando em reeducação alimentar – falei sobre isso aqui – ou “coma menos e se exercite mais” – escrevi sobre isso aqui.

O primeiro passo pra acabar com o Ciclo das Dietas sem Resultado é acabar com a restrição e re-conhecer e respeitar seu próprio corpo. Todas nós nascemos com a habilidade de viver totalmente em paz com a comida, apenas nos desconectamos. Pra se reconectar, comece por aqui.

 

PS: se você quer se aprofundar no assunto, acesse a palestra da Neurocientista Sandra Aamodt clicando aqui (ative a legenda).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *