Se você prometeu emagrecer em 2021, veja como começar

Primeira coisa que nós temos que fazer é reconhecer que, provavelmente, esta não é a primeira dieta, nem a primeira vez que você promete emagrecer.

E tá tudo bem, você não é a exceção, não é a única que não consegue emagrecer. Pelo contrário.

Por que isso é importante?

Para não cometer o mesmo erro dos anos e das dietas anteriores.

Antes de continuar esse texto, você precisa tomar uma decisão.

Você quer:

1. Começar uma dieta em janeiro, ficar magra em fevereiro, voltar a engordar na Páscoa, emagrecer em abril e passar mais um ano emagrecendo e engordando sucessivamente. Fazendo aquelas mesmas coisas que você já sabe - ou alguma variação delas - e, eventualmente comer tudo que você vê pela frente por algumas horas ou dias, sentir culpa e recomeçar várias e várias vezes.

2. Mergulhar em você mesma, descobrir as causas que te fazem comer emocionalmente, entender que comer é um ato diário (e, por isso, tem que ser prático e fácil), passar a comer de forma natural, consciente e intuitiva, alinhada com sua individualidade, rotina, preferências, sem compulsão alimentar, sem efeito sanfona e assim emagrecer por consequência.

os bastidores do projeto de emagrecimento

A primeira opção é aquela da vida repetitiva.

A gente já sabe como é. Eu lembro que quando eu vivia assim, era como se eu vivesse prendendo a respiração, esperando o momento em que poderia relaxar de novo. Viver de dieta é viver em um estado constante de tensão e vigília já que o descontrole pode vir a qualquer momento (rápido e explosivo como ele é). 

Fazer dieta, apesar de mascarado com "cuidar da saúde", não ajuda na saúde mental porque é um período (meio sem fim, né) de cobrança e culpa que gera ansiedade e resultados que não se sustentam. Quantas vezes você se pegou comendo pra aliviar a ansiedade? Se isso é caminho para o emagrecimento, olha, não consigo entender.

Por aqui falamos de vida real, do que realmente acontece depois de anos de dietas.

E o pior, tudo isso mascarado de foco, força de vontade, controle de metas, treino perfeito, disciplina.

E eu tenho calafrios lendo essas coisas porque penso nos outros planos e metas que estão deixando de existir na vida de uma mulher que foca tanta atenção em emagrecer. Quando ela vai realizar as outras coisas se tem que direcionar tanto tempo, energia e dinheiro se preocupando com... comida?!

ser magra por "15 minutos" ou emagrecer para sempre

Mas ouvimos há tantos anos: tenha força de vontade, coma menos e se exercite mais que passamos a acreditar que força de vontade é um momento de epifania que dura pra sempre.

Epifania, pra filosofia, é uma sensação profunda de que você compreendeu a essência das coisas, sabe como algo funciona.

E tem gente que acha que força de vontade ou decidir emagrecer é algo que acontece meio assim:

Isso é um resumo bem objetivo. Existem camadas e mais camadas de emoções, comportamentos e padrões a serem explorados nesse meio aí.

mas eu quero emagrecer

Calma.

Claro que não tem problema nenhum em querer emagrecer, mudar o visual, se sentir mais bonita e confiante. 

O problema está na  forma  como essa resolução de começo de ano, essa empolgação vazia, sem reflexão e, às vezes, até desesperada - que se repete ao longo dos meses no padrão "se despede da comida no domingo pra recomeçar na segunda".

Aquele eu das festas de final de ano com o corpo inchado da enorme quantidade de bebidas e comida planejou uma série de jejuns, detox (detoxes?) e restrições alimentares é diferente do eu que já perdeu alguns quilos de retenção hídrica e que já está de volta na rotina.

Cadê aquele esboço de rotina regrada e firme pra perder peso? Cadê aquela motivação toda? O que fazer com o cansaço, o mal humor, a ansiedade, as emoções?

Dá pra colocar a vida no pause um pouquinho? Não, não dá.

E é por isso que promessas de emagrecimento normalmente não dão certo.

Perder peso é uma das promessas mais populares todo começo de ano.
Você não está sozinha.

o ponto da virada

Pra começar, pare de acreditar em ponto da virada.

Tem blogueira fitness por aí que faz sucesso porque dá esporro e sermão nas pessoas para que elas sejam "fitness". Não somos mais crianças para precisarmos disso.

Já tive alunas que chegaram até mim pedindo pra falar "a verdade" para que elas "tomem vergonha na cara". Outras achando que tem que sofrer pra emagrecer: quanto mais sofrimento, mais vão merecer. Sem contar aquelas que querem se fechar em casa, emagrecer e depois voltar para o mundo (muitas até tentam isso e é um ciclo de orgulho e vergonha difícil que saúde mental nenhuma aguenta).

Não tem ponto da virada, tem um passo a passo  para desenvolver autonomia e autocontrole:

1. Desconstruir crenças, padrões e hábitos começando por parar de emendar uma dieta atrás da outra sem entender o que está acontecendo com você e no seu corpo;

2. Mirar na saúde e qualidade de vida (sim, saúde e emagrecimento tem relação, mas são coisas diferentes) e começar buscando um bom acompanhamento médico, que avalie seus exames (não seu peso ou aparência);

3. Começar mudanças sustentáveis de comportamento que levem ao emagrecimento. Importante: emagrecimento é consequência, é meta fim. O foco tem que estar nas metas meio, ou seja, nas coisas que você vai fazer no dia a dia que trarão o resultado;

4. Entender que essas metas meio não são relacionadas apenas ao que você pode/não pode comer. Isso enlouquece a gente. É muito estressante, rígido, agressivo ficar monitorando a alimentação desse jeito (você não faz isso com sua respiração, com suas horas de sono ou com sua vontade de fazer xixi, faz?). Preocupe-se mais com sua fome emocional.

5. Se empenhar incansavelmente em conhecer o próprio corpo. Como é sua fome? E sua saciedade? Por que você não consegue parar de comer algo quando já está saciada? O que te satisfaz? Qual é a diferença entre saciedade e satisfação? Quais emoções te fazem comer? Já imaginou depender de um app no celular, de um profissional ou de um plano-de-urina pra te dizer quanto e que horas fazer xixi? Absurdo? Até quando vamos depender de elementos externos para regular nossa alimentação? Eu sei que você se acostumou assim mas, por favor, reflita.

a meta certa pra você

A meta certa pra você é aquela que mexe com você, te faz correr atrás, exige esforço, dedicação, estudo, mas não sofrimento, sacrifício, abalos à sua saúde mental. É algo que você consegue ver a linha de chegada e se sente ao mesmo tempo motivada e desafiada.

Enquanto o emagrecimento for esse "projeto" temporário, cheio de soluções rápidas, planos desesperados que prometem grandes resultados em pouco tempo... não adianta, não vai funcionar.

Você pode ficar brava comigo. Pode preferir a propaganda do desafio de 15 dias pra secar 5 quilos ou o detox não-sei-das-quantas. Pode pensar que vai ali e volta aqui depois, pra usar o que estou dizendo para manter os tais 5 quilos perdidos.

Sua ideia é lógica e faz sentido. Mas quem disse que nossa relação com a comida é tão matemática assim? Se fosse, o coma-menos-e-se-exercite-mais funcionaria e não existiria fome emocional, você não comeria quando está triste, cansada, entediada, ansiosa, feliz. Isso a propaganda do detox esquece de te falar. ops!

Não acredita só em mim. Olha pra tua história: quantos quilos você já perdeu e recuperou tudo e mais um pouco depois?  Isso não é fracasso. É o jeito que esse sistema mágico mude-tudo-de-uma-vez-e-emagreça insiste em te fazer acreditar.

Continue acreditando ou decida finalmente começar a caminhar para atingir a meta do jeito certo e, principalmente, pela última vez.

Comunidade de Alimentação Intuitiva 
Como conhecer o próprio corpo e se alimentar de forma leve, consciente e natural.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *