“Não aguento mais, me ajuda a emagrecer urgente”

– Oi. 🙁
– Oi! Tá tudo bem?
– Mais ou menos. Quer dizer, não. Não muito.

Olho com compaixão e cara de que que foi?

– Eu quero emagrecer.
– Eu sei. :]

(eu sempre sei. primeiro que eu já estive lá, depois porque esta é a pergunta número 1 que me fazem)

– …
– …
– Quero muito, muito, muito. Mais que tudo na vida.
– Eu sei.
– Que que eu faço?
– Não sei, o que você faz?
– Eu não aguento mais. Tô cansada. Tô cansada de recomeçar. tô cansada de desistir, to com raiva de mim. To me sentindo presa nesse corpo que eu odeio cada vez mais. Corpo pesado. Corpo gordo. Corpo feio. Eu não quero mais isso pra mim, não quero mais esse corpo mas parece que quanto mais eu tento, mais difícil fica.
– 😶
– 😞
– 😊
– 😣

– hahaha verdade!
– Em algum momento da sua vida, mesmo que só quando você era bebê ou uma criança bem pequena, seu corpo não foi um problema e emagrecer não existia.
– É verdade! Eu lembrei agora que só comecei a pensar no meu corpo quando eu tinha uns 12, 13 anos.
– Exato!
Quando você começou a se incomodar com seu corpo, também recebeu um bombardeio de informação sobre dietas e emagrecimento. A regra número 1 foi: coma menos. E você começou a comer menos. Foi tranquilo, não foi um sacrifício.
Você teve resultado, ficou mais feliz e talvez até nem tenha achado tão difícil assim.
É possível até que em algum momento você tenha adotado a estratégia maluca de “se eu nem comer, acho que vou resolver ‘meu problema’ mais rápido ainda, opa, boa ideia”.
Pronto, tava feita a merda.
A comida já tinha virado um problema.
Você já associou que comida é ruim, comida engorda, comida é a vilã, inimiga, a responsável por você não ser “bonita”. E, bizarramente, concluiu que comer é errado.
– Vixi.
– Acontece que comer É bom! Biologicamente somos programadas para gostar de comer. Nosso corpo não queria que a gente simplesmente se esquecesse de comer e, puft, morresse de fome sem querer!
– hahaha
– Por isso, a evolução criou papilas gustativas, olfato e outros mecanismos que nos permitem buscar e experienciar a comida.
– Que legal!
– A gente não escolhe isso, a gente NASCE assim. É, mais uma vez, nossa biologia funcionando perfeitamente.
– Verdade, faz sentido. Mas eu ainda quero emagrecer.
– hahahaha. Tá, vamos lá pra essa parte! Veja bem, a primeira coisa que eu pre-ci-so que você saiba é que não é esse processo, simples, rápido e fácil que vendem por aí. Não se perde quilos de gordura DEFINITIVAMENTE de uma hora pra outra.
Podemos até perder peso (não necessariamente gordura) com mais facilidade das primeiras vezes, mas vai ficando cada vez mais difícil, nosso corpo mais resistente à restrição, nosso desejo pelas comidas proibidas aumenta, as tentativas “fracassadas” vão se acumulando, nossa autoestima começa a ser afetada, o emocional fica cada vez mais frágil, vem a compulsão alimentar e não tem “feche a boca e se exercite mais” que funcione.
A esta altura, a comida pode ganhar um status de refúgio, alívio e/ou recompensa.
Vira nosso altar particular secreto.
A solução para este caos emocional de-fi-ni-ti-va-men-te não é cortar carboidrato.
Mais restrição não ajuda em nada.
– O que eu faço, então?!
– Bom, vou listar aqui 10 coisas essenciais que eu queria ter ouvido quando eu me sentia como você, tá bom?!

 Bom, vou listar aqui 10 coisas essenciais que eu queria ter ouvido quando eu me sentia como você, tá bom?!

1. PARE DE TENTAR EMAGRECER RÁPIDO.
Há quanto tempo você vem fazendo sacrifícios enormes para emagrecer rápido? Mas não está sendo rápido, está?! Pode até ser que você já tenha tido resultados momentaneamente rápidos, mas provavelmente recuperou todo peso perdido e um pouco mais. Isso é um atraso no seu processo final, além de machucar seu corpo e abalar sua autoestima. Será que vale a pena?

2. BUSQUE O QUE FUNCIONA PRA VOCÊ.
Pensa bem… você já deve ter seguido dicas que ouviu da prima da vizinha, que leu na revista, que achou na internet, que viu no Instagram da blogueira famosa, mas fazendo uma hora da verdade aqui: deu certo?
Foi leve?
Foi natural?
Tinha sua cara?
Vou te contar uma coisa que ensino no Descomplicando a Força de Vontade: nós temos uma quantidade x de Força de Vontade por dia. Como não conseguimos dar conta de centenas de tarefas por dia, nosso cérebro vai eliminar aquelas que demandam mais energia. Ou seja, se você precisa fazer grandes sacrifícios para manter seus hábitos, provavelmente não vai conseguir sustentar por muito tempo. Por outro lado, se você fizer escolhas alinhadas com suas preferências e rotina, com certeza vai manter com facilidade. Eu encontrei o meu jeitinho personalizado de comer seguindo a Alimentação Consciente e Intuitiva. Você pode saber mais aqui e aqui.

3. CUIDE DA SUA SAÚDE. Mas eu estou falando de saúde DE VERDADE: física, mental, emocional e espiritual.
Não estou falando de oscilar entre restrição e compulsão, de viver num mar de autocrítica ou constantemente ansiosa por causa do corpo e da alimentação.
Estou falando de se dedicar a descobrir o que é equilíbrio pra você, o que te faz sentir vontade de se cuidar interna e externamente, o que te deixa feliz e animada com a vida. Cuidar integralmente de você é tão importante quanto se preocupar com nutrientes.

4. CONHEÇA SUA FOME EMOCIONAL. Pode ter certeza que você já sabe tu-di-nho que precisa fazer pra emagrecer, o que “pode” e o que “não pode” comer.
O problema não é mais esse.
O que te faz comer o que você sabe que “não deve” são suas emoções.
O que faz você “jacar” depois de um dia intenso não é só porque comer pão, macarrão e sorvete é gostoso, mas porque esses alimentos te “acalmam”, ou seja, acalma suas emoções. Não tem nada a ver com carboidrato ou proteína, tem a ver com nosso analfabetismo emocional.

5. APRENDA A LIDAR COM SUAS EMOÇÕES. Esse item é bem parecido com o anterior, mas é porque eu pre-ci-so ressaltar que somos analfabetas emocionais (por favor, não se sinta ofendida, não é culpa sua e é ótimo que você está aqui!). Não nos ensinaram a lidar com as emoções, nos ensinaram a engolir o choro, ficar quietaparar de fazer drama e, sem perceber, começamos a usar a comida para engolir todos esses sapos e todo o choro que não nos permitimos chorar.
Comece a se preocupar mais com o que acontece dentro de você do que com o número do seu manequim ou o que os outros estão pensando do seu corpo. Acredite, tem muita coisa acontecendo dentro de você e gritando por atenção. São essas coisas que te fazem buscar pizza ou chocolate depois de um dia bonitinho de dieta.


Eu quero te dizer com todo amor e compaixão do mundo: eu sei que é difícil, quando eu passava por isso eu sentia que era até desesperador. Eu não conseguia pensar em mais nada. Parecia que tudo na minha vida girava em torno do emagrecimento. E foi só quando eu não via mais escolha, quando começava uma nova dieta e em menos de 48h eu já tinha uma compulsão, que vi o quanto precisava mudar. Espero que você não precise sofrer tanto.

Eu sei o quanto você deseja emagrecer rápido, mas acredite: mudar a relação que você tem com seu corpo e curar sua relação com a comida vai transformar profundamente sua vida.

Muito mais do que você pode imaginar agora.

Assiste esse vídeo aqui debaixo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *