Esse texto contém altas doses de ironia. Leia com atenção.

O que mais tem por aí é gente querendo explicar pra você como funciona sua mente e como ela pode estar te atrapalhando nos seus objetivos.

E aqui eu tenho que ironizar o quanto as expressões:
* preciso de motivação – para emagrecer;
* chegar no objetivo – de emagrecer;
* voltar para o foco – de emagrecer;
* conquistar o corpo ideal – alguém me explica o que é corpo ideal? Não é um que funcione e seja saudável? hahaha

Mas voltando!

Quando eu ironizo que emagrecer é algo tão cobrado das mulheres que fica mesmo parecendo que é uma obrigação de vida e deve ser chamada de O Objetivo é porque fomos ensinadas que emagrecer é pré-requisito para o sucesso e a felicidade: se não for linda e magra, todas as suas outras características não importam muito, eles dizem.

A cobrança é tão grande e, por consequência, o desejo de chegar lá é tão forte que entramos na mentalidade de que vale tudo para emagrecer.

E não para por aí. A exigência não é só emagrecer. É emagrecer para ter um corpo específico, dito padrão, dito ideal, considerado o certo. Daí, não importa se sua estrutura física é drasticamente diferente, também não interessa sua genética – sim, eu disse genética, aquela coisa também conhecida como DNA que é única e imutável: fique magra ou passe a vida tentando ser.

A série de planos infalíveis

A cada esquina, você encontra uma propaganda, um anúncio, alguma imagem te lembrando que você precisa emagrecer. A cada esquina nada, a cada poucos passos.
Você vai no mercado, encontra um monte de produtos reforçando essa ideia.
Nas rodas de conversa do trabalho, da faculdade, no salão, na padaria, no mercado, em eventos, no Uber, em tudo quanto é lugar, o assunto também é esse.
Na academia também, óbvio! Quem vai na academia pra melhorar as estruturas ósseas, musculares, a imunidade, a capacidade pulmonar ou cardíaco? Academia é a punição pra quem quer emagrecer e não tem força de vontade.

Sem contar, claro, o celular. Imagens e anúncios por email, nas redes sociais, em sites estão sempre promovendo e prometendo o próximo plano infalível.

A cada esquina, você encontra uma propaganda, um anúncio, alguma imagem te lembrando que você precisa emagrecer. A cada esquina nada, a cada poucos passos.
Você vai no mercado, encontra um monte de produtos reforçando essa ideia.
Nas rodas de conversa do trabalho, da faculdade, no salão, na padaria, no mercado, em eventos, no Uber, em tudo quanto é lugar, o assunto também é esse.
Na academia também, óbvio! Quem vai na academia pra melhorar as estruturas ósseas, musculares, a imunidade, a capacidade pulmonar ou cardíaco? Academia é a punição pra quem quer emagrecer e não tem força de vontade.

Sem contar, claro, o celular. Imagens e anúncios por email, nas redes sociais, em sites estão sempre promovendo e prometendo o próximo plano infalível.

Coisas que iam mudar sua vida…

2007 – chá verde;
2008 – quinoa;
2009 – suco verde;
2010 – chá de hibisco;
2011 – chia;
2012 – água morna com limão;
2013 – gluten free;
2014 –  lactose free;
2015 – dieta da proteína;
2016 – comer como o homem das cavernas;
2017 – jejum intermitente;
2018 – reeducação alimentar;

Emagreça ou morra – viva – tentando

 

Sem contar shakes, sopas, remédios, suplementos, dieta de todo tipo, alimentos ora considerados vilões, ora amigos-da-boa-forma e tantos tipos diferentes de promessas.

Será que ninguém para pra pensar que talveeeeez esteja na hora de repensarmos tudo isso? Não. Pelo contrário, a obsessão só aumenta e as medidas para emagrecer vão cada vez mais longe.

Tem gente que coloca um balão no estômago para comer menos. Emagrecem, ficam felicíssimas, mas quando tiram o balão, voltam a engordar.

Muitas mulheres fazem todo tipo de cirurgia estética, mas também tem dificuldade de manter as curvas desenhadas pelo cirurgião.

Até mesmo quem faz o procedimento mais invasivo de todos, a cirurgia bariátrica, volta a engordar, sente muita culpa e vergonha, mas volta para o que eu chamo de A Fila do Emagrecimento e continua tentando.

Parece uma guerra sem fim. As pessoas normalizaram o fato de viver de dieta e não se questionam mais sobre os limites disso. Continuam mascarando de estilo de vida, de busca por bem estar e saúde, mas curiosamente não reconhecem que não tem nada de saudável viver pensando em corpo e comida.

 

 

 

E por que a gente quer tanto emagrecer?

Estabeleceu-se um corpo que é para ser o padrão, mas que é possível para menos de 1% da população. Ignorou-se tudo que faz o ser humano ser incrível e encantador: sua individualidade, características únicas e tão diversas quanto o número de habitantes no planeta. É impossível sermos iguais. Mesmo gêmeos, com mesmo pai e mesma mãe, mesma idade, mesma aparência são diferentes. Cada pessoa tem sua própria história, preferências, experiências, gostos, enfim, tudo 100% único. A gente podia amarrar duas pessoas para o resto da vida, fazê-las comer as mesmas coisas e fazer as mesmas atividades e mesmo elas seriam totalmente diferentes.

Porque nós somos diferentes. Não dá pra padronizar o ser humano. Aliás, por que mesmo queremos padronizar?
Desculpe, mas essa resposta ainda não encontrei. Aparentemente, emagrecer É a solução para todos os nossos problemas.

Autossabotagem… será?

De acordo com a National Eating Disorder Association (Associação Nacional de Transtornos Alimentar), a típica mulher adulta do mundo ocidental vai fazer de 4 a 10 tentativas de dieta por ano e 95% das dietas vão falhar ao ajudar as pessoas a emagrecer definitivamente.

Você concorda comigo que quando milhões de pessoas estão tentando fazer uma coisa – emagrecer, no caso -, tentam de várias formas diferentes, por anos, alguma coisa está errada e não se trata apenas de querer?

Ao invés de chegarmos à conclusão de que provavelmente tem alguma coisa errada com o método, o senso comum ainda culpa a pessoa que não consegue emagrecer. E faz isso oferecendo uma próxima dieta, um outro método ou tentando argumentar de várias formas diferentes, desde insinuando que a pessoa é feia-preguiçosa-fracassada até chamando de autossabotagem e é sobre isso que vou escrever na semana que vem.

Enquanto isso…

Se você não consegue emagrecer…

…isso não quer dizer nada sobre sua personalidade, não significa que você é um fracasso, que não tem força de vontade, que é feia ou qualquer outro absurdo desses que tentam fazer você acreditar.

Eu pensava tudo isso sobre mim e no fim acabei descobrindo que eu tinha transtorno alimentar, mesmo achando que estava fazendo todas aquelas loucuras “em nome da saúde”.

A verdade é eu queria emagrecer a todo custo. TO-DO CUSTO.

❌ eu morava em Foz do Iguaçu/PR e comprava umas capsulazinhas pretas no Paraguay que só Deus sabe o que tinha dentro 😳😓 ⠀ ⠀
❌ eu tomava shake – como um pó batido com água pode ser mais saudável do que comida natural?
❌ eu achava que não tinha força de vontade e acabava desanimando não só na alimentação, mas minha autoestima ficava cada vez pior em todas as áreas da minha vida. ⠀ ⠀ ⠀
❌ eu tinha medo de comida (oi?!) e qualquer coisa me fazia pensar que ia engordar 😒⠀
❌ eu deixava de sair prometendo que quando emagrecesse, seria diferente.⠀ ⠀⠀ ⠀ ⠀


Isso não é estilo de vida. ⠀

Estilo de vida tem a ver com uma VIDA boa e equilibrada em vários sentidos: vida pessoal, relacionamentos, família, exercício físico, trabalho, dinheiro, filhos, realização, diversão, descanso e tudo mais que você quiser. Não só corpo-comida-dieta-emagrecimento-peso-corpo-comida-dieta-emagrecimento-peso-corpo-comida-dieta-emagrecimento-peso


Se você leu até aqui, se identificou e provavelmente vive de plano ‘infalível’ em plano ‘infalível’, deve estar exausta, provavelmente frustrada, mas nunca tinha parado pra pensar que existe um outro jeito.

Pois é, EXISTE!

Eu criei um Guia explicando os primeiros passos para sair disso que eu chamo de O Jogo da Comida e A Fila do Emagrecimento e você pode baixar gratuitamente CLICANDO AQUI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *